Chico xavier Analiza Menina assume personalidade de primo morto.

Chico xavier Analiza

No número das dificuldades que a prática do Espiritismo apresenta é necessário colocar a da obsessão em primeira linha.  

Menina assume personalidade de primo morto.

A obsessão apresenta característica diversas que precisamos distinguir com precisão, resultantes do grau do constrangimento e da natureza dos efeitos que este produz.  

A palavra obsessão é portanto um termo genérico pelo qual se designa o conjunto desses fenômenos, cujas principais variedades são: a obsessão simples, a fascinação e a subjugação.  

A obsessão simples verifica-se quando um Espírito malfazejo se impõe a um médium, intromete-se contra a sua vontade nas comunicações que ele recebe, o impede de se comunicar com outros Espíritos e substitui os que são evocados.  

Não se está obsedado pelos simples fato de ser enganado por um Espírito mentiroso, pois o melhor médium está sujeito a isso, sobretudo no início, quando ainda lhe falta a experiência necessária, como entre nós as pessoas mais honestas podem ser enganadas por trapaceiros.  

Veja:

Chico xavier Analiza A obsessão é considerada fator primário 

Na obsessão simples o médium sabe perfeitamente que está lidando com um Espírito mistificador, que não se disfarça e nem mesmo dissimula de maneira alguma as suas más intenções e o seu desejo de contrariar.  

Podemos incluir nesta categoria os casos de obsessão física, que consistem nas manifestações barulhentas e obstinadas de certos Espíritos que espontaneamente produzem pancadas e outros ruídos.  

O Espírito consegue inspirar-lhe uma confiança cega, impedindo-o de ver a mistificação e de compreender o absurdo do que escreve, mesmo quando este salta aos olhos de todos.  

Os homens mais atilados, mais instruídos e inteligentes noutro sentido, não estão mais livres dessa ilusão, o que prova tratar-se de uma aberração produzida por uma causa estranha, cuja influência os subjuga.  

Dissemos que as conseqüências da fascinação são muito mais graves.  

Com efeito, graças a essa ilusão que lhe é conseqüente o Espírito dirige a sua vítima como se faz a um cego, podendo levá-lo a aceitar as doutrinas mais absurdas e as teorias mais falsas como sendo as únicas expressões da verdade.  

Chico xavier Analiza Em se tratando da prática mediúnica obsessão 

Compreende-se facilmente toda a diferença entre obsessão simples e a fascinação.  

A subjugação corpórea vai às vezes mais longe, podendo levar a vítima aos atos mais ridículos.  

Conhecemos um homem que, não sendo jovem nem belo, dominado por uma obsessão dessa natureza, foi constrangido por uma força irrestível a cair de joelhos diante de uma jovem que não lhe interessava e pedi-la em casamento.  

De outras vezes sentia nas costas e nas curvas das pernas uma forte pressão que obrigava, apesar de sua resistência, a ajoelhar-se e beijar a terra nos lugares públicos, diante da multidão.  

Para os seus conhecidos passava por louco(2), mas estamos convencidos de que absolutamente não o era, pois tinha plena consciência do ridículo que praticava contra a própria vontade e sofria com isso horrivelmente.  

Chico xavier Analiza crença na infalibilidade e identidade absoluta 

Dava-se antigamente o nome de possessão ao domínio exercido pelos maus Espíritos, quando a sua influência chegava a produzir a aberração das faculdades humanas.  

Se não adotamos esse termo, é por dois motivos: primeiro, por implicar a crença na existência de seres criados para o mal e perpetuamente votados ao mal, quando só existem seres mais ou menos imperfeitos e todos eles suscetíveis de se melhorarem;  

A obsessão, em qualquer dos seus graus, sendo sempre o resultado de um constrangimento, e não podendo jamais esse constrangimento ser exercido por um Espírito bom, segue-se que toda comunicação dada por um médium obsedado é de origem suspeita e não merece nenhuma confiança.  

como a  qualquer outro trabalhador da reunião mediúnica 

1) Insistência de um Espírito em comunicar-se queria ou não o médium, pela escrita, pela audição, pela tiptologia etc., opondo-se a que outros Espíritos o façam.  

2) Ilusão que, não obstante a inteligência do médium, o impede de reconhecer a falsidade e o ridículo das comunicações recebidas.  

3) Crença na infalibilidade e na identidade absoluta dos Espíritos que se comunicam e que, sob nomes respeitáveis e venerados, dizem falsidades ou absurdos.  

4) Aceitação pelo médium dos elogios que lhe fazem os Espíritos que se comunicam por seu intermédio.  

5) Disposição para se afastar das pessoas que podem esclarecê-lo.  

6) Levar a mal a crítica das comunicações que recebe.  

7) Necessidade incessante e inoportuna de escrever.  

8) Qualquer forma de constrangimento físico, dominando-lhe à vontade e forçando-o a agir ou falar sem querer.  

9) Ruídos e transtornos em redor do médium, causados por ele ou tendo-o por alvo.  

Em face do perigo da obsessão, ocorre perguntar se não é inconveniente ser médium, se não é essa faculdade que a provoca, enfim, se não é isso uma prova da inconveniência das comunicações espíritas.  

Chico xavier Analiza O Espírito André Luiz, por sua vez, esclarece: 

Não tendo sido os médiuns nem os espíritas que criaram os Espíritos, mas sim os Espíritos que deram origem aos espíritas e aos médiuns, e sendo os Espíritos simplesmente as almas dos homens, é evidente que sempre exerceram sua influência benéfica ou perniciosa sobre a Humanidade.  

Pode-se dizer, portanto, que a mediunidade permite ao homem ver o seu inimigo face a face, se assim se pode dizer, e combatê-lo com suas próprias armas.  

A quantos atos não é o homem impelido, para sua desgraça, e que seriam evitados se ele tivesse um meio de se esclarecer.  

É assim que o conhecimento do Espiritismo, longe de facilitar o domínio dos maus Espíritos, deve ter como resultado, num tempo mais ou menos próximo, quando se achar divulgado, destruir esse domínio, dando a cada um os meios de se manter vigilante contra as suas sugestões.  

Regra geral: quem quer que receba más comunicações espíritas, escritas ou verbais, está sob má influência;  

A escrita oferece-lhe um meio de assegurar 

A escrita oferece-lhe um meio de assegurar da natureza dos Espíritos em ação e de os combater, se forem maus, os que se consegue com maior êxito quando se chega a conhecer os motivos da sua atividade.  

Em resumo: o perigo não está no Espiritismo, desde que este pode, pelo contrário, servir-nos de controle e preservar-nos do risco incessante a que nos expomos sem saber.  

Ele está na orgulhosa propensão de certos médiuns a se considerarem muito levianamente instrumentos exclusivos dos Espíritos superiores, e na espécie de fascinação que não lhes permite compreender as tolices de que são intérpretes.  

Um deles se apegou como verdadeira tinha(5) a uma boa família nossa conhecida, que não teve aliás, a satisfação de enganar.  

Interrogado sobre o motivo do ataque a essa boa gente, ao invés de apegar-se a homens da sua espécie, respondeu: Esses não me dão inveja.  

Querem impor a sua opinião e para isso procuram médiuns suficientemente crédulos para aceitá-las de olhos fechados, fascinando-os para impedir qualquer discernimento do verdadeiro e do falso.  

Procuram fascinar por uma linguagem empolada 

Procuram fascinar por uma linguagem empolada, mais pretensiosa do que profunda, cheia de termos técnicos e

enfeitada de palavras grandiosas, como Caridade e Moral.  

Gostam de ditar aos seus intérpretes volumosos escritos, indigestos e muitas vezes pouco inteligíveis, que trazem

felizmente como contraveneno a impossibilidade material de ser lidos pelas massas.  

Os Espíritos realmente superiores são sóbrios nas palavras, dizem muita coisa em poucas linhas, de maneira que essa

fecundidade prodigiosa deve ser sempre considerada suspeita.  

Nunca será demais a prudência, quando se tratar da publicação de semelhantes escritos.  

As utopias e as excentricidades, que são neles freqüentemente abundantes e chocam o bom senso, provocam impressão

muito desagradável nas pessoas que se iniciam, dando-lhes uma idéia falsa do Espiritismo, sem contar ainda que servem

de armas aos adversários para ridicularizá-lo.  

Todo médium que se aborrece com as críticas das suas comunicações faz-se eco do Espírito que o domina, e esse

Espírito não pode ser bom, desde que lhe inspira o pensamento ilógico de recusar o exame.  

Chico xavier Analiza Obsessão Limitando-se às que recebe, por melhores 

Limitando-se às que recebe, por melhores que lhe pareçam, fica exposto a enganar-se quanto ao seu valor, devendo-se

ainda considerar que ele não pode conhecer tudo e que elas giram sempre num mesmo círculo de idéias.  

Mas isso nem sempre é suficiente e pode demorar bastante, porque existem os teimosos, para os quais os meses e os anos pouco significam.  

É uma conversão que se empreende, tarefas muitas vezes penosas, ingratas, mas cujo mérito está na própria dificuldade,

e que uma vez bem realizada traz sempre a satisfação de se haver cumprido um dever de caridade, e freqüentemente a

de haver reconduzido ao bom caminho uma alma perdida.(9)  

 

É também conveniente interromper as comunicações escritas quando se reconhece que procedem de um

Espírito mau,que nada quer ouvir, para não se lhe dar o prazer de ser ouvido.  

Mas se o médium escrevente pode evitar 

Mas se o médium escrevente pode evitar essas conversações abstendo-se de escrever, não se dá o mesmo com o

médium audiente, que o Espírito obsessor persegue às vezes a todo instante com seu palavreado grosseiro e obsceno, e

que não tem nem mesmo o recurso de fechar os ouvidos.  

De resto, devemos reconhecer que certas pessoas se divertem com a linguagem trivial dessa espécie de Espíritos, que os

encorajam e provocam ao rir das suas tolices, ao invés de lhes impor silêncio e orientá-los moralmente.  

Como já dissemos, o fascinado recebe geralmente muito mal os conselhos.  

Um desses Espíritos exercia extraordinária fascinação sobre pessoa nossa conhecida.  

Perguntamos porque abusava tanto daquela pessoa, e ele respondeu com estas palavras que revelam nitidamente o

caráter dessa espécie de Espíritos: Eu procurava um homem que pudesse manejar, encontrei-o e ficarei com ele.  

Como não há pior cego do que o que não quer ver, quando se reconhece a inutilidade de todas as tentativas para

abrir os olhos do fascinado o melhor que se tem a fazer é deixá-lo com as suas ilusões.  

pode ser moral, só pode ser exercida 

Mas como essa ascendência só pode ser moral, só pode ser exercida por uma pessoa moralmente superior ao Espírito, e

seu poder será tanto maior quanto o for a sua superioridade moral, porque então se impõe ao Espírito, que se vê obrigado a inclinar-se ante ela.  

Só podemos dar aqui alguns conselhos gerais, porque não há nenhum processo material, nenhuma fórmula,

sobretudo, nem qualquer palavra sacramental que tenham o poder de expulsar os Espíritos obsessores.  

Desde alguns anos que várias irmãs vinham sendo vítimas de atos estranhos de depredação.  

Só muito tempo depois, graças a algumas indicações, achou que devia dirigir-se a nós, procurando saber à causa

desses transtornos e os meios, se possível, de lhes dar um fim.  

O que essas senhoras têm de melhor a fazer é rogar aos seus Espíritos protetores que não as abandonem.  

E eu não tenho melhor conselho a lhes dar do que o de mergulharem na própria consciência para se confessarem consigo

mesmas, examinando se praticaram sempre o amor ao próximo e a caridade.  

Entretanto, se chegarem a melhor 

Entretanto, se chegarem a melhor, seus anjos da guarda voltarão para elas e sua presença será suficiente para

afastar o Espírito mau, que se apegou sobretudo a uma delas porque o seu anjo da guarda teve de afastar-se, diante dos

seus atos repreensíveis ou dos seus maus pensamentos.  

À observação de que essas palavras nos pareciam um pouco severas, e que talvez se devesse abrandá-las para a transmitir o Espírito acrescentou:  

 

Eu tenho a dizer isso que disse e como disse, porque as pessoas em causa acostumou-se a pensar que não fazem

nenhum mal pela língua, quando na verdade o fazem e muito.  

Disso resulta um ensinamento de grande alcance, o de que as imperfeições morais dão acesso aos Espíritos

obsessores, e de que o meio mais seguro de livrar-se deles é atrair os bons pela prática do bem.  

A mortandade ou as doenças dos animais  

“A mortandade ou as doenças dos animais desse homem provêm dos seus currais infectados, que ele não manda limpar porque isso custa”.  

— Eu não disse que se trata de um sinal de indignidade, mas que pode haver obstáculos a certas comunicações.  

— Em certos casos pode ser uma verdadeira punição, como a possibilidade de comunicar-se com eles é uma recompensa que deves procurar merecer.  

— Os Espíritos perversos se aproximam mais dos homens, que procuram atormentar, do que dos Espíritos, pois

destes se afastam o mais possível.  

Nessa aproximação aos humanos, quando encontram quem os tenta moralizar, a princípio não lhe dão ouvidos e até riem-

se dele, mas depois, se este soube prendê-los, acabam por sentir-se tocados.  

O homem não tem, é evidente, mais poder que os Espíritos superiores, mas a sua linguagem é mais acessível à natureza

inferior, e vendo a influência que podem exercer os Espíritos inferiores, compreende melhor a solidariedade existente entre o Céu a Terra.  

loucura cuja causa é desconhecida  

— Sim, a uma espécie de loucura cuja causa é desconhecida do mundo, mas que não tem relação com a loucura ordinária.  

— Se eles podem proibir a certas pessoas de se  comunicarem com os Espíritos, não podem impedir as

comunicações espontâneas a essas mesmas pessoas, pois não podem suprimir os Espíritos nem impedir que exerçam a sua influência oculta.  

Seria loucura, só porque os imprudentes podem cometer abusos, querer suprimir uma coisa que proporciona grandes

vantagens O meio de prevenir os inconvenientes é, pelo contrário, fazer que a conheçam a fundo.(13)  

 

No meio espírita ela se manifesta de maneira ardilosa através de uma avalanche de livros comprometedores, tanto

psicografados como sugeridos a escritores vaidosos, ou por meio de envolvimento de pregadores e dirigentes de

instituições que se consideram devidamente assistidos para criticarem a Doutrina e reformularem os seus princípios.  

Os médicos não espíritas continuam a dar de ombros  

Os médicos não espíritas continuam a dar de ombros e a rir do que não conhecem, como faziam os seus colegas do

tempo de Pasteur a respeito das infecções.  

(8) Muito comum este fato, que vem ocorrendo com espantosa intensidade no Brasil, em virtude da propagação da prática

espírita sem o desenvolvimento paralelo do conhecimento doutrinário.  

Por toda parte aparecem publicações inoportunas, desviando a atenção do público dos problemas fundamentais do

Espiritismo, excitando a imaginação e o orgulho de médiuns incultos que, ainda em desenvolvimento, se deixam empolgar

pela vaidade pessoal, dando atenção aos elogios de companheiros menos avisados e sendo envolvidos por

Espíritos pseudo-sábios, sistemáticos, imaginosos.  

(9) As instruções dadas neste item devem ser bem examinadas pelo leitor, pois ao mesmo tempo em que apresentam uma

técnica de afastamento dos obsessores, mostram que tudo depende da vontade e persistência do médium.  

A falta de sua formulação precisa 

A falta de sua formulação precisa, e a rejeição do Espiritismo grosso modo pelos psiquiatras e cientistas preconceituosos

são responsáveis pelo atraso da Medicina nesse campo e pelos sofrimentos inenarráveis de milhares de vítimas.O médico Bezerra de Menezes, em A Loucura Sob Novo Prisma;  

Joseph Banks Rhine declara: “Da coleção existente na Universidade de Duke, de mais de três mil casos de

ocorrências psi espontâneas, selecionou-se uma centena de casos que sugerem a ação de certo agente espiritual, com muito maior força que qualquer outra explicação”.  

Jan Ehrenwald propõe em seu livro já citado o aprofundamento das pesquisas sobre infiltrações telepáticas nas

sessões psico analíticas aliás já verificadas e referidas pelo próprio Freud), e cita vários casos de sua experiência clínica, mencionando estudos de M.  

A influência espírita, como vemos neste livro, é da mesma natureza e já está sendo admitida pelos parapsicólogos como

necessária para explicação de muitos casos, pois oferece a única explicação possível. 

Facebook Comments
share on: